Página Inicial

Depois de ter conquistado Portugal e a Europa, a bodyboarder Joana Schenker chegou ao topo da modalidade a nível mundial. Aos 30 anos, completados no passado dia 1 de Outubro, a portuguesa (filha de pais alemães) sagrou-se campeão do mundo do circuito profissional (APB) este domingo na Nazaré. É a primeira atleta nacional a alcançar tal feito.

“Foram muitos anos a trabalhar para isto. É um sonho realizado para qualquer atleta conseguir o título mais importante da modalidade”, confessou em declarações à Agência Lusa, depois de ver confirmada a primeira posição no ranking mundial. Isto apesar de ter sido eliminada nos quartos-de-final do Nazaré Pro, que está a ser disputado na Praia do Norte (até ao próximo dia 12 de Outubro), e de ainda faltar disputar a última etapa do circuito, nas Ilhas Canárias, em La Guancha (entre 14 e 28 deste mês).

“Sinto também que Portugal já merecia ter um campeão do mundo. Tem um grande historial no bodyboard (…) Ser eu a dá-lo [o título] é uma grande honra e também uma grande responsabilidade”, garantiu Joana Schenker, a quem já só faltava este reconhecimento na sua carreira.

Tetracampeã nacional e europeia na modalidade, a algarvia reconheceu que está a viver um sonho, ainda por cima confirmado perante os seus compatriotas e fãs: “Eu senti a comunidade de bodyboard e quem acompanha um pouco esta modalidade com uma energia incrível, em especial depois da etapa de Sintra, quando passei para a frente do ranking. Tenho recebido um feedback enorme das pessoas e sinto-me muito acarinhada. É muito especial vencer em casa junto dos amigos e das pessoas que falam a nossa língua.”

Um sonho concretizado mais rapidamente do que a atleta sonharia, já que este é apenas o seu segundo ano no circuito profissional. A sua meta mais realista apontava para ficar entre as 10 ou oito primeiras classificadas

Mas foi também em Portugal que Joana começou a acreditar que poderia chegar bem mais alto. A vitória na etapa de Sintra, no final do último mês de Setembro, acabou por ser fulcral para a atleta luso-alemã conquistar pontos fundamentais na luta pelo título e chegar à liderança do ranking. Um triunfo na Praia Grande que recebe há 22 anos esta prova e onde apenas dois portugueses haviam triunfado até ao momento: Manuel Centeno (2003) e Catarina Sousa (2009).

Filha de pais alemães, que se fixaram no Algarve, Joana Schenker já nasceu em Portugal, ainda que no início da sua carreira não tenha sido reconhecida como atleta nacional. O que só veio a acontecer há alguns anos. E foi em Sagres, sua vila natal, que lhe começou a nascer o “bichinho” do bodyboard, com 13 anos, a praticar com amigos. O namoro depressa se transformou numa paixão e deu em casamento. Literalmente, já que a bodybooarder em conjunto com o seu namorado e treinador, fundaram uma escola da modalidade precisamente em Sagres.

O seu talento levou-a a competir nos esperanças logo aos 14 anos e, a partir desse momento, iniciou um percurso ascendente, conquistando campeonatos nacionais e europeus, até chegar ao trono mundial. E agora? “Vou ter de treinar muito nesta época de Inverno, aproveitar da melhor maneira para me preparar, porque para o ano começa tudo da estaca zero.”

Fonte: Paulo Curado /Público

 

Login Form